Archive for Janeiro, 2006

Derby’s há muitos! 1-3 é que não…

Eu sou Sportinguista. Sou rapaz envaidecido por aquela camisola; pelo seu emblema de leão enraivecido! Bolas, vencemos o derby! E eu bem sei que essa vitória é momento passageiro. Que acontece e passa ao passado, que nada se decide em clássicos e jogos grandes. Como costumo dizer, o campeonato é decidido nos jogos menores. Afinal, e tendo em conta os bons momentos de forma, apenas 4 ou 5 equipas costumam ficar “por cima” de início ao fim. As menores, essas são 13/14…
Mas no sábado saltei de alegria! Nada contra os benfiquistas, note-se. Afinal, eu jogo no campo do fair-play… Mas a verdade é que depois de tantos jogos sem pontuar devidamente eu estava convencido que não venceríamos esse jogo. Mais: Eu apenas ouvi o relato. Já passavam cerca de 25 minutos do jogo ter começado que me lembrei de sintonizar o rádio. E o que é que eu oiço? Golo do Benfica. Pensei: “Bem, mais uma na ripa…” E desliguei o rádio, desiludido que estava. Liguei a tv na RTP, que passava uma série de reportagens sobre a vaga de frio e a bela da neve em Lisboa – que vou ser sincero, ainda que pouca e fraquita, é sempre um espectáculo lindo… – e por aí fui passando o meu tempo. Às tantas recordo-me que o jogo estava a acabar. E o que é que eu oiço, mal volto a sintonizar o rádio?! Golo. Liedson. E eu tudo bem. Estão para aí uns 2-1 para o Benfica, pensei. Qual quê! 1-3… e o 3 era do SPORTING!!!!!! Nem sabem a figura parva que fiz…
Para a semana podemos voltar a perder. Podemo-nos até distanciar, para melhores ou piores lugares. E será natural que a coisa me volte a custar. Mas o que me importa é que gozei o momento! Quero lá saber que hoje os meus colegas me tenham dito: “Pois, quando vocês marcaram beijaram o leão, mas o Simão beijou as quinas”; que o meu grande amigo BP me venha com teorias sobre a batata – ou cebola, por causa das lágrimas! lol – que fez os jogadores do Benfica perder o jogo; eu sei lá! A verdade é que jogámos bem, vencemos e tivémos mérito nisso! E eu, amigos, GOSTO DO SPORTING!!!!!
Ps. Isto pode até ser falar de campos em que não devia. Mas sempre fui contra a substituição do Quim, que até lesionado jogou para defender a camisola encarnada, pelo Moretto. Acho que desde sábado, e não tirando de forma alguma o nosso mérito – que foi notório -, ficou provado o que eu queria dizer. Obrigado!!

Janeiro 30, 2006 at 3:44 pm 2 comentários

Dia de bola.

Hoje é dia de bola. Uns vivendo-o mais do que outros, dando-lhe mais ou menos importância. A verdade é que, queiramos ou não, o dia de hoje via ter um impacto danado amanhã. Ou porque o Sporting esgota ou não, na opinião jornalística, as hipóteses de ser campeão nacional, ou porque o Benfica vai – ou não – balançado cada vez mais na frente do campeonato, ou porque, então, o Porto ganha avanço sobre os outros dois. A verdade é que dependendo do jogo de hoje muita tinta irá aparecer estampada nos jornais de amanhã.
Naquele estádio, as emoções serão mais do que muitas. Para os da casa, que o olham como a sua “catedral”, ou mesmo para os “forasteiros”, o jogo será sentido por cada coração que naquele recinto se encontrar. Cada falta, cada bola ao poste, cada falhanço à boca da baliza, cada golo… E o tempo passará correndo, sem que ninguém dê por isso.
Hoje é dia de bola. Queiramos ou não, algo vamos sentir, pois que os nossos clubes jogam naquele enorme rectângulo de relva… Eu, espero vêr um Benfica-Sporting como o da Taça no ano passado. Um jogo daqueles… Que ganhe o que melhor jogar. Mas se der, que ganhe o Sporting…

Janeiro 28, 2006 at 10:39 am Deixe um comentário

Jornalistas & Informação

Ele há dias assim. Em que chegamos a casa cansados e a única coisa que nos apetece fazer é sentarmo-nos à mesa e de lá só levantar o belo do traseiro quando o jantar já estiver no seu fim. Mesmo que saibamos à partida que isso não vai acontecer. Porque falta um copo, um garfo, o pão… E lá temos nós de levantar o nosso rabo da cadeira!
Depois, quando finalmente já nada falta, começam todos a comer. E o que acontece? Cada um a seu tempo vai virando a cabeça aí uns 20, talvez 30º, conforme o lugar onde esteja a televisão. E assim se passa uma refeição inteira. A família reúne-se, o jantar começa, e as únicas vezes em que se abre a boca não é para dizer o habitual “então amori, que tal correu o teu dia”, mas sim para enfiar as dentuças na asa do frango!
E eu tudo bem. Agora o que deixa um pouco acabrunhado é a ideia de que, “ok, já não se utiliza o tempo em que jantamos para falar uns com os outros, mas em contrapartida vamos vêr má televisão!” Não, a sério. Que coisa é aquela do telejornal da noite? Ora vamos lá reflectir um pouco sobre isto. O jornal começa. E sempre, mas SEMPRE, aparece um tipo a dizer: “Boa noite! Eu sou o Zé das Chouriças, e este é o… Jornal da Noite!” Meus amigos, porquê? Antes do homem começar a falar já toda a gente sabe que ele é o Zé das Chouriças. Ele talvez não saiba, mas há umas letritas em rodapé por baixo do homem que nos indicam o seu nome e agora até o e-mail! Alguém o avisa?! E depois, qual é a razão de se fazer sempre suspense depois de se dizer que “e este é o Jornal da Noite“? Alguém está à espera que ele vá dizer que é o PREÇO CERTO EM EUROS?!?
A seguir vem aquela minha teoria de que quando um telejornal apresentar mais de 5% de notícias BOAS, a coisa em Portugal começa a andar para a frente! Epa, custa-me, devo dizer. É que é só notícias más! Ele é a varicela das lesmas altamente contagiosa; ele é a crise da queda de cabelo precoce que está a levar os barbeiros à… crise; a guerra civil numa terra perdida no meio de Trás-os-Montes provocada pelo choque em cadeia de trinta cabras com uma vaca desnorteada; ou então – aqui vêm a pièce-de-resistance de hoje – o Benfica é campeão! Como disse, só notícias más…
Mas pior que isso é o flagelo da lingua portuguesa! Ele ou há-de ser “É trágico! Está a arder uma vasta área de pinhal de eucaliptos!”, tratando-se portanto de uma nova variedade de árvores; ou então “Quatro hectares de trigo foram queimadas… Em princípio trata-se de um incêndio”, mas isto só em princípio, pois até se pode tratar duma inundação. E temos também “Os aquaparques têm feito, durante este ano, muitas vítimas. Que o digam os dois mortos registados este mês…” – em directo, do além! Mas antes de Domingo, ainda enquanto havia campanha eleitoral, em directo de um qualquer jantar de Manuel Alegre, dizia a repórter da TVI que “o candidato está neste preciso momento a receber um forte aplauso de palmas!”.
E eu, com esta, esgotei…

Janeiro 25, 2006 at 1:50 pm 1 comentário

Estou vivo!!

Só para dizer ao pessoal que pensar que me deu um “treco” qualquer que eu estou vivo!! Não tarda voltarei a postar; por enquanto, fiquem bem!

Janeiro 24, 2006 at 7:49 pm 1 comentário

Justiça. E ponto final!

Há uns dias fui passear. Pronto, foi um passeio diferente. Dei uma volta pela net, portanto, estive com o rabo sentado na cadeira. Fui lá ver as vistas, para saber o que se passa à minha volta. E encontrei um blog (visitem, muito bom!) com umas coisas engraçadas… Ora vejam:

E eu, tal como o autor do blog acima referido, devo fazer as seguintes observações:

1ª – 3254€ para manter a porra de um site?!

2ª – O ministro chama-se Alberto Bernardes Costa. A nomeada, Susana Isabel Costa Doutra. Para quem ainda não entendeu, faço um esquema:

PAI FILHA

E eu tudo bem. Paguemos nós os tais 3254€ acrescidos do seu valor duplicado em Junho e Novembro, que a nomeada merece! Hã?!.. Tachos? Quais TACHOS?! Não, nada disso…

3ª – Esta tem piada: O tal Alberto Costa é… ministro da JUSTIÇA!

4ª – Aquilo que vocês estão a pensar neste momento, e que, ao meu sinal de três, podem repetir comigo. Vamos lá rapazida! Um… Dois… Três… DAAAASSSSSSEE!!!!!!…

(Neste momento tenho três tipos a dar-me violentamente chicotadas nas costas, de modo a que me lembre apenas da dor e não na m**da da justiça praticada neste País. Peço desculpa pelo incómodo causado.)

Para relaxarmos todos um pouco depois disto, retirei também uma imagem do dito blog. É favor afastar a petizada do ecrã, pois o que se segue merece bolinha vermelha no canto. Os mais sensíveis devem também retirar-se. Sensíveis, claro está, aos ataques de riso…

Ele aí está! Não é o Mário Jardel… Não é o Super Mário… É… Mário… Soares!!!

promenor da bolinha–> O

Foi o The Place de hoje, tenham um bom dia!

Janeiro 13, 2006 at 6:26 pm 1 comentário

César Valentim.

Meus amigos, hoje, a loucura. Como neste País tudo nesta semana não passou do mesmo – exepto aquela coisa do “Ah e tal… e coiso.. os tremores sentidos em Lisboa…”, decidi, meus caros, trazer-vos um vídeo sobre: A demência do futebol. Mas podemos também aplica-lo a vários pontos da sociedade… É vêr!

video de: “A revolta dos Pastéis de Nata

    (já agora, e se parares o som ambiente para ouvires o vídeo, hein?!)

Janeiro 13, 2006 at 11:57 am 1 comentário

O táxiiiiiiii.

Os táxis são aqueles transportes que mais interesse têm nestas nossas cidades. Isto é sério! Já pensaram na coisa? Ora reparem:

Um tipo está em Lisboa. No Aeroporto. Levanta a mão, e chama o belo do táxi – que para ser bem feito, deve-se levantar bem a mão e abaná-la, esticar o pescoço, e com a boca bem escancarada gitar: TÁÁXXXIIIIIIIIIIIIIII!!! E isto é capaz de ser um complot qualquer das associações de táxis. Qualquer dia vêem a público e dizem: “Amigos, temos pena, mas a partir de agora para além de levantarem a mão e gritarem que nem tolinhos terão de dançar a lambada e pôr um chapéu verde-escarreta na cabeça para apanhar um táxi.” E acreditem que o Zé Povinho fazia!…
Mas, como dia, apanha-se o taxi lá para os lados do Aeroporto. Aqui há duas versões:
1ª – O tipo é estrangeiro: “Please, quanto tiempo o cab… perdão… o táqsí demórá a chegar ao Áriéru? (tradução: Chefe, como é, leva-me ao Arieiro num saltinho não né?) Resposta do condutor: “Opa, isso agora é um trabalhão… Mas eu levo-o, esteja descansado! Não se preocupe que aqui o Zé dos Cambuzinos leva-o a qualquer lado está a entender? Não… não está a entender… Ok. EU LEVÁ-LO A ARIEIRO MAS TER DE PASSAR POR BELÉM PRIMEIRO, DEPOIS POR BENFICA, DEPOIS VOLTAR E IR A CARCAVELOS, AINDA TENHO DE DAR UM SALTITO AO ALGARVE, E…”
2ª – O tipo é um tuga: “Bom dia! É ali até ao Rossio, ó faz favor.” Neste caso, o que é que o condutor faz? “Ora bem, até ao Rossio não é? Tudo bem. É só guardar o jornal aqui… Ora já está. Então e o Benfica, viu aquele jogo? Epa aquilo é que…”
No caso de ser uma senhora a apanhar o táxi, a resposta do condutor será: “Claro minha senhora. Sabe, estas ruas estão um perigo. Ainda ontem ia a passar ali na zona de Belém e vi dois tipos, veja só, dois tipos a roubar a carteira a uma idosa. A culpa disto é do governo!”
O que mais me intriga nisto tudo é o seguinte: E se aparece um tipo como eu que não têm muita vontade para falar dentro de um táxi? O que é que o taxista faz? “Meu amigo, ou você responde às minhas teorias sobre futebol, ou então vai a pé ouviu?!

E eu tudo bem. Sempre tenho sola nos sapatos….

Ei… e depois? Eu também não faço a mínima do que eles estão para ali a dizer!!!

Janeiro 10, 2006 at 10:51 am 2 comentários

Artigos Mais Antigos


Janeiro 2006
D S T Q Q S S
« Dez   Fev »
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293031  

Fresco, fresquinho!

Estatísticas...

  • 6,622 + (10700, no Blogger...)